26092018_jurimarabá.jpg

Na última terça-feira, 25 de setembro, a Defensoria Pública do Estado participou de júri popular em defesa de assistido acusado por envolvimento em uma chacina que ocorreu no município de Ourilândia do Norte, sudeste paraense, em 2015. O juiz decretou a inocência do réu, após tese apresentada pela instituição que comprovou sua inculpabilidade, por falta de provas.

Em quase 13 horas de sessão, estavam sendo julgados três acusados, por três mortes, além de associação criminosa. O defensor público Alysson Castro atuou na defesa de C. D. S. As teses defensivas utilizadas foram a negativa de autoria e a falta de provas. Ele explicou, entretanto, que o Conselho de Sentença acolheu apenas a tese de falta de provas para todos os cinco crimes.

“A demonstração da inocência do acusado representou o coroamento de um trabalho de vários meses, tendo em vista que o processo tramitou na Comarca de Ourilândia do Norte, até ser desaforado para Marabá. A partir do momento que fomos nomeados para a defesa do referido assistido passamos a nos dedicar, com a ajuda dos estagiários, a traçar a melhor tese de defesa, que foi acolhida pelo conselho de sentença e com a consequente absolvição do nosso assistido dos quatro homicídios e do crime de associação criminosa”, comentou.

Os criminosos teriam realizado uma emboscada para matar Jadson Michel Pesconi. Dois dos réus foram absolvidos e foi condenado em 60 anos de reclusão, inicialmente em regime fechado.

 

Texto: Amanda Velasco


Horário de Funcionamento

Segunda a Sexta-feira das 08:00 às 14:00

Endereço

Prédio SEDE
Rua Padre Prudêncio, nº 154, Belém - Pará - Brasil.
CEP: 66019-080
Fone: (91) 3201-2700
Central de Atendimento
Rua Manoel Barata, nº 50, Belém - Pará - Brasil.
CEP: 66015-020
Fone: (91) 3239-4050

Defensorias Públicas

Homologado Para

Desenvolvido por: Equipe sistemas NTI e Equilibrium Web
Aguarde, carregando...